Home / MODA / O conceito de beleza em uma perspectiva de identificação com as formas de cognição humana. O que este conceito sugere para nossas diversas formas de expressão?

O conceito de beleza em uma perspectiva de identificação com as formas de cognição humana. O que este conceito sugere para nossas diversas formas de expressão?

Segundo Kathia Castilho (2004), nas diversas culturas,criam-se verdadeiras instituições que assumem o papel de arquidestinador de comportamentos,ideologias,gostos,estilos de vida,leis de interação,etc. Ao ser exposto um sujeito, quer por um texto verbal,oral ou escrito,quer por uma gestualidade,quer por uma combinatória vestimentar, pode-se apreender,pelos modos de sua manifestação,a quais movimentos discursivos ele se filia. Em suas maneiras de ser e estar no mundo, concretizam-se fragmentos das instituições que regem seu fazer. E esses mesmos  fragmentos possibilitam entrever os limites da aparente liberdade sob a qual ele se constrói.

A Moda, a Comunicação Social (Publicidade e Propaganda)sem dúvida, são parte deste grupo de instituições que percebem o indivíduo nas suas concepções e cognições com o mundo e o inserem em um sistema de interações culturalmente padronizadas, em um sistema de símbolos, valores e formas – uma rede relacionamentos, ou seja, uma sociedade. Por tanto, o ser humano como indivíduo interage como o mundo concebendo modelos e formas que passam a fazer parte de sua identificação . Um dos conceitos relevantes para este entendimento é o conceito de “beleza”. O que é ‘beleza”? Como este conceito se relaciona com as formas de expressão e identificação de cada um de nós?

 A ciência nos revela que o ser humano possui uma qualidade inata de entender as relações entre as formas (simetria) e gerar a partir desta relação um modelo de ordem – um padrão. Com isso, projetamos nossa imagem naquilo que construímos, obviamente porque isso faz parte de nossa identificação, assim construímos a arte,a arquitetura, o design, o texto, a imagem – A beleza torna-se a propriedade pela qual percebemos o universo.

Aquilo que admiramos nos outros nos esforçamos para ter em nós mesmos. A procura pela beleza é a procura por saúde e juventude. A beleza faz muita diferença, nós não gostamos dessa ideia por que a beleza tem constantemente sido associada a bondade e o feio ao vilão horroroso, mas a beleza não serve para medir o caráter de ninguém, é apenas uma das muitas características que nos ajudam no jogo da vida.

A ciência descobriu que a elegância da matemática é essencial para a beleza da natureza.

“Clifford Pickover – A matemática é o tear no qual Deus criou o tecido do universo. Nós somos como um viajante numa floresta, ou alguém procurando ouro numa mina. Estamos sempre encontrando coisas que já existiam independentemente de nós. acredito que a matemática pode ser usada para descrever muito do mundo em que vivemos”.

Conhecer os requisitos básicos que estimulam os modelos identificatórios da beleza é acima de tudo, buscar uma forma de comunicação e expressão que se identifica e seduz a muitos. – Isto pode lhe dar vantagem competitiva.

:: >>>Sobre o autor:

Mauricio Valentini é professor universitário e analista de mídias sociais na Unifran.Contatosvalentini@idsocial.com.br ou mauriciovalentini@yahoo.com.br .
Portfóliohttp://valentini.idsocial.com.br .
Sites: http://www.idsocial.com.br ou http://www.facebook.com/idsocial

103 comments

  1. A Beleza e os esteriótipos são alvo de discussão entre autores e humanos que se proõe a definir conceitos ou mesmo entendê-los. Aqueles que se propãe a definir beleza tem que ter em conta os valores pessoais e ainda os padrões sob os quais todos nós definimos o que é belo, o que é feio. A matemática das formas e da natureza influência no olhar humano e na acepção que nós vamos desenvolver sobre o mundo e a imagem que termos dele. A competitividade humana vai além de apenas entender as acepções, mas querer se sobressair dentro dos conceitos definidos. A busca pela forma ideal, pelo corpo ideal a competitividade pela beleza. Tem ido além de um conceito e a pretenção de discúti-lo mas passa a influenciar na vivência humana, nos hábitos e até mesmo na qualidade de vida. O discernimento não alcança as mentes bitoladas, e os conceitos passam a ser prejudiais quando levados literalmente e sem refelxão.

  2. É fato que a beleza é subjetiva, cada um tem suas próprias concepções dela. Mas algumas características como a simetria, confere maior nível de beleza a determinadas coisas. A cultura a qual o indivíduo está inserido também contribui para sua concepção do que é belo e do que é feio. Para os profissionais das mais diversas áreas, a busca da beleza é algo que está ligado ao sucesso profissional.

  3. Este conceito de beleza que nos é imposto, nos sugere que nossa vida não passa de uma infinita busca pela beleza,não só fisica mais também do ambiente em que vivemos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.