Home / ESPIRITUALIDADE / Uma Homenagem “ao melhor amigo do homem”

Uma Homenagem “ao melhor amigo do homem”

Fox, conhecido como "Bola"

O cão (Canis lupus familiaris[1]), no Brasil também chamado de cachorro, é um mamífero canídeo e talvez o mais antigo animal domesticado pelo ser humano. Teorias postulam que surgiu do lobo cinzento no continente asiático há mais de 100 000 anos. Ao longo dos séculos, através da domesticação, o ser humano realizou uma seleção artificial dos cães por suas aptidões, características físicas ou tipos de comportamentos. O resultado foi uma grande diversidade de raças caninas, as quais variam em pelagem e tamanho dentro de suas próprias raças, atualmente classificadas em diferentes grupos ou categorias.

Estima-se que a importância do cão para o ser humano seja muito maior do que imaginamos. Você ja deve ter escutado histórias de cães que se tornaram verdadeiros hérois ao salvarem a vida de seus donos ou defende-los até as útlimas circunstâncias, como no caso da vira-lata Bruna que em dezembro de 2007 salvou seu dono o cadeirante Paulo Sérgio Moreno de Jesus, 51, do ataque de um cão Pitt Bull em Bataguassu.
Os cães possuem excelente visão, olfato e audição, são inteligentes, relativamente dóceis e obedientes ao homem, e com boa capacidade de aprendizagem. Desse modo, o cães podem ser adestrados  para executar grande número de tarefas. Não se tem conhecimento de uma amizade tão forte e duradoura entre espécies distintas quanto a do Homem-cão.
Os sentidos dos cães:
Olfato: Com 30 vezes mais tecidos sensoriais olfativos do que o ser humano, essa capacidade olfativa permite que sejam adestrados para encontrarem inúmeras coisas, como drogas, fugas de gás, minas terrestres e pessoas soterradas.
Audição: Os cães ouvem sons quatro vezes mais distantes do que o ser humano, além de ouvirem ultra-sons de até 60 Khz, inaudíveis aos seres humanos, que só escutam até 20 Khz.
Visão: A visão noturna dos cães é muito melhor que a dos humanos. O seu ângulo de visão também é mais amplo, devido aos olhos estarem ao lado da cabeça. Assim como todos os mamíferos não-primatas, são ditos dicromatas por  não conseguirem enxergar a cor verde.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.